Mitos e verdades sobre a caspa

mitos e verdades sobre a caspa main banner



A caspa é tão comum quanto misteriosa. E irritante. Quando aqueles indesejáveis floquinhos brancos começam a aparecer nos ombros, não há quem não se preocupe, mesmo sabendo que esse tipo de dermatite, caracterizado pela descamação excessiva do couro cabeludo, não tem gravidade. Por atingir um número tão grande de pessoas e pelo desconhecimento da causa exata, não há limite para a quantidade de "verdades absolutas" relacionadas à caspa. Mas o que é, de fato, verdade e mito a respeito da caspa?

Com tratamento adequado, é possível acabar definitivamente com a caspa.

Mito. Por enquanto, infelizmente, não existe nenhum tratamento que acabe de vez com a caspa.

Caspa significa falta de higiene.

Mito. A higiene é sempre importante, mas por mais que se lave o cabelo isso não evita o aparecimento da caspa, que está mais relacionada ao aumento do nível de produção das glândulas sebáceas e à proliferação de fungos que existem normalmente no couro cabeludo o Pityrosporum ovale e o Malassezia furfu do que à falta de banho.

Lavar o cabelo todo dia provoca a caspa.

Mito. Não há nada que indique essa possibilidade. E higiene é sempre recomendável, embora não seja necessário lavar a cabeça diariamente. Mas quem tem esse hábito não precisa interrompê-lo por medo da caspa.

A caspa ocorre mais nos homens do que nas mulheres.

Verdade. Embora faltem estatísticas definitivas, sabe-se que a testosterona, principal hormônio masculino, estimula a ação das glândulas sebáceas, o que induz ao aumento da descamação do couro cabeludo.

A caspa tem causa genética.

Verdade em parte. Alguns médicos sustentam a ideia de que fatores hereditários relacionados ao funcionamento das glândulas sebáceas favoreçam o aparecimento da caspa.

A caspa é mais frequente em pessoas de cabelo escuro do que em quem tem cabelo claro.

Mito. A caspa não escolhe nem cor nem tipo de cabelo. Simplesmente, os floquinhos brancos se destacam mais no cabelo escuro, por contraste.

A caspa aparece mais frequentemente no inverno.

Verdade. Nos meses frios, há um aumento natural na ação das glândulas sebáceas, e além disso os banhos quentes alteram a oleosidade da pele e do couro cabeludo, o que também pode estimular o aparecimento da caspa.

É bom esfregar fortemente a cabeça, para retirar a caspa.

Mito. Esfregar o couro cabeludo acaba irritando ainda mais a pele e criando as condições para o aparecimento de mais caspa. O cabelo deve ser lavado suavemente e massageado de leve com as pontas dos dedos.

O uso constante de shampoos anticaspa resseca o cabelo.

Mito. Se o shampoo for de marca reconhecida e de boa qualidade, como os da linha Palmolive Naturals Anticaspa, certamente conterá ingredientes que evitam o ressecamento dos fios.

Já deu para perceber que a caspa ainda carrega alguns mistérios até mesmo para os pesquisadores e os especialistas médicos. Todos concordam, porém, que o combate a essa dermatite leve deve incluir, obrigatoriamente, o uso de produtos de qualidade comprovada e desenvolvidos a partir de pesquisa sérias, como a linha Palmolive Naturals Anticaspa.

Com ingredientes naturais que combatem o aparecimento da caspa, fortalecem o cabelo e evitam a queda dos fios – como extratos de alga, complexo de eucalipto e complexo de proteínas – a linha Palmolive Naturals Anticaspa oferece produtos específicos para cada necessidade: o shampoo Palmolive Naturals Anticaspa For Men para cabelos masculinos o shampoo Palmolive Naturals Anticaspa Clássico, para todos os tipos de cabelo.

 

Saiba mais a respeito da linha Palmolive Naturals Anticaspa.

 





Nós recomendamos

Mais dicas para você